jusbrasil.com.br
17 de Outubro de 2021
2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul TJ-MS - Apelação : APL 0016614-87.2011.8.12.0001 MS 0016614-87.2011.8.12.0001

Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
5ª Câmara Cível
Publicação
30/06/2016
Julgamento
28 de Junho de 2016
Relator
Des. Vladimir Abreu da Silva
Documentos anexos
Inteiro TeorTJ-MS_APL_00166148720118120001_be434.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

E M E N T A - APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO DE USUCAPIÃO - DECRETO DE IMPROCEDÊNCIA - CONDENAÇÃO DO AUTOR POR LITIGÂNCIA DE MÁ-FÉ - AFASTADA - AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DO DOLO DE ALTERAR A VERDADE DOS FATOS OU DE USAR DO PROCESSO PARA OBJETIVO ILEGAL - HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS - REDUÇÃO - VALOR RAZOÁVEL - RECURSO CONHECIDO E PARCIALMENTE PROVIDO, CONTRA O PARECER. 01.

Para a condenação em litigância de má-fé, faz-se necessário a prova do dolo da parte na tramitação do processo, manifestado por conduta intencionalmente maliciosa e temerária, o que não restou evidenciado nos autos, devendo ser afastadas, consequentemente, as penalidades aplicadas. 02. A verba honorária ser estabelecida em percentual diminuto, sob pena de se tornar irrisória, sem guardar razoável expressão econômica ao trabalho do advogado, tampouco pode ser excessiva, sob pena de implicar enriquecimento sem causa. Diante disso, no caso, entendendo ter sido arbitrado montante excessivo, impõe-se a redução. 03. Recurso conhecido e parcialmente provido, contra o parecer.
Disponível em: https://tj-ms.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/356872772/apelacao-apl-166148720118120001-ms-0016614-8720118120001