jusbrasil.com.br
19 de Agosto de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul TJ-MS - Apelacao Civel: AC 18716 MS 2005.018716-3

Detalhes da Jurisprudência

Processo

Órgão Julgador

3ª Turma Cível

Partes

Publicação

Julgamento

Relator

Des. Rubens Bergonzi Bossay
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

APELAÇÃO CÍVEL - ACIDENTE DE TRÂNSITO - MORTE DE CHEFE DE FAMÍLIA - INDENIZAÇÃO POR DANOS MATERIAIS E MORAIS - DENUNCIAÇÃO DA LIDE - SEGURADORA - TERMO INICIAL DA CORREÇÃO MONETÁRIA EM CASO DE DANO MORAL - A PARTIR DO MOMENTO EM QUE FOI FIXADO O QUANTUM - CUMULAÇÃO DE VERBAS PREVIDENCIÁRIA E INDENIZATÓRIA - POSSIBILIDADE - PENSÃO MENSAL COM DESCONTO DE 1/3 - SEGURO OBRIGATÓRIO - DEDUÇÃO DA INDENIZAÇÃO - SEGURADORA CONDENADA AO REEMBOLSO PELOS DANOS MORAIS - PACTUADO NO CONTRATO - EXCLUSÃO DE RESPONSABILIDADE REDIGIDA EM LETRAS MINÚSCULAS - DIFÍCIL COMPREENSÃO - RECURSOS NÃO PROVIDOS E RECURSO PARCIALMENTE PROVIDO. Nas indenizações por dano moral, o termo a quo para a incidência da atualização monetária é a data em que foi arbitrado seu valor, tendo-se em vista que, no momento da fixação do quantum indenizatório, o magistrado leva em consideração a expressão atual de valor da moeda. A pensão previdenciária e a devida por ato ilícito são acumuláveis, pois possuem origens distintas. Exclui-se do valor a título de pensão mensal a fração equivalente ao que seria necessário para a manutenção pessoal do segurado. O valor do seguro obrigatório deve ser deduzido da indenização judicialmente fixada. (Súmula 246 STJ) A seguradora fica obrigada ao reembolso da condenação de indenização por danos morais, quando contratado na apólice de seguro.

Disponível em: https://tj-ms.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/4008367/apelacao-civel-ac-18716