jusbrasil.com.br
24 de Julho de 2019
2º Grau

Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul TJ-MS - Recurso Especial : 09002893620168120001 MS 0900289-36.2016.8.12.0001 - Inteiro Teor

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

TJ-MS__09002893620168120001_5de9e.pdf
DOWNLOAD

Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso do Sul

Vice-Presidência

VICE-PRESIDÊNCIA

RECURSO ESPECIAL n.º 0900289-36.2016.8.12.0001/50004 – Campo Grande

Recorrente: JORNAL O ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

Recorrido: MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL

Vistos, etc.

Trata-se de RECURSO ESPECIAL interposto pela JORNAL O ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL , com fundamento no art. 105, III, a, da Constituição Federal.

Alega que o acórdão objurgado contrariou o art. , IX e X, art. 227, da Constituição Federal; art. 143, art. 247, do Estatuto da Criança e do Adolescente e art. 147, do Código Penal.

Requer, ainda, a minoração da multa aplicada.

Contrarrazões pelo não seguimento do recurso (f. 18/33).

Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso do Sul

Vice-Presidência

O objeto do exame de admissibilidade cinge-se na análise das condições e dos pressupostos necessários para posterior apreciação do mérito recursal, o que se faz nos termos dos art. 1.029 e seguintes, da Lei Adjetiva Civil c/c art. 105, III, da Constituição Federal.

A admissão recursal pressupõe a presença dos requisitos genéricos de admissibilidade, sejam os relativos à própria existência do poder de recorrer (intrínsecos) – cabimento; legitimidade; interesse – sejam os relativos ao exercício do direito de recorrer (extrínsecos) – tempestividade; preparo; regularidade formal; e inexistência de fato impeditivo ou extintivo. Ademais, é de perscrutar os requisitos específicos de admissibilidade, a saber: esgotamento prévio das vias ordinárias; imprestabilidade para a mera revisão da prova; prequestionamento; dissídio jurisprudencial; e, em sendo o caso, repercussão geral, no RECURSO EXTRAORDINÁRIO.

Sustenta o recorrido, em preliminar de contrarrazões, a intempestividade do presente recurso. Contudo, faz-se mister esclarecer, conforme certidão de f. 36, que ocorreu indisponibilidade do sistema de peticionamento eletrônico nos dias 20/02/2019 e 27/02/2019, motivo pelo qual verifica-se que o apelo especial é tempestivo.

Passa-se a admissibilidade.

Colhe-se a ementa do acórdão objurgado, in verbis:

"APELAÇÕES CÍVEIS – INSURGÊNCIA DOS RÉUS –

REPRESENTAÇÃO POR INFRAÇÃO ADMINISTRATIVA ÀS

NORMAS DE PROTEÇÃO À CRIANÇA E AO

ADOLESCENTE – MELHOR INTERESSE DA CRIANÇA E

DO ADOLESCENTE – ART. 247, DO ECA

FOTOGRAFIAS EM MATÉRIAS JORNALÍSTICAS DE

APREENSÃO DE MENORES – IDENTIFICAÇÃO –

2

Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso do Sul

Vice-Presidência

RECURSOS CONHECIDOS E DESPROVIDOS.

Consoante disposição do art. 247, do Estatuto da Criança e

do Adolescente, constitui infração administrativa a

divulgação, total ou parcial, sem autorização devida, por

qualquer meio de comunicação, nome, ato ou documento de

procedimento policial, administrativo ou judicial relativo a

criança ou adolescente a que se atribua ato infracional,

conduta apenável com multa. Recursos conhecidos, mas não

providos."

No que pertine à alegação de minoração da multa aplicada, o presente apelo não está apto a merecer análise pelo SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA, pois se constata que o recorrente não indicou, expressa e satisfatoriamente, quais dispositivos infraconstitucionais que teriam sido violados ou de cuja vigência haja sido negada ou, ainda, que paria a suposta divergência jurisprudencial, o que faz incidir o óbice contido na Súmula 284 1 , do SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, aplicável à espécie, conforme reiteradamente vem entendendo o Tribunal da Cidadania, veja-se:

"(...) 3. O conhecimento do recurso especial pelas

alíneas a e c do permissor constitucional exige a indicação

de qual dispositivo legal teria sido violado ou objeto de

interpretação divergente entre o acórdão impugnado e os

paradigmas, sob pena de incidência, por analogia, da

Súmula nº 284 do STF. (...)" (AgInt no REsp 1631186/SE, 3ª

T., rel. Min. MOURA RIBEIRO, j. 21/03/2017, DJ

03/04/2017).

"(...) 2. Em relação à propalada exorbitância da multa

cominatória fixada, mostra-se inviável o recurso especial

interposto com base na alínea a do permissivo

1

"É inadmissível o recurso extraordinário quando a deficiência na sua fundamentação não permitir a exata compreensão da controvérsia'".

3

Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso do Sul

Vice-Presidência

constitucional em que a recorrente deixa de apontar os artigos de lei tidos por malferidos, atraindo a incidência da Súmula 284 do STF. Esse entendimento é de igual modo aplicável ao recurso manejado com base na divergência jurisprudencial. Precedentes. 3. Agravo interno a que se nega provimento". (AgInt no REsp 1166443/SP, 2ª T., rel. Min. OG FERNANDES, j. 13/06/2017, DJ 21/06/2017)

"(...) V - A jurisprudência desta Corte é assente no sentido de que a ausência de indicação dos dispositivos em torno dos quais teria havido interpretação divergente por outros tribunais não autoriza o conhecimento do recurso especial, quando interposto com base na alínea 'c' do permissivo

constitucional.

VI - O conhecimento do recurso especial, neste aspecto, encontra óbice no enunciado n. 284 da Súmula STF, aplicado ao caso por analogia.

VII - Não foi realizado o cotejo entre o acórdão recorrido e os paradigmas, de modo analítico, pormenorizando e indicando sobre quais pontos repousam as controvérsias. Não basta, como in casu, limitar-se o recorrente a colacionar

ementas dos acórdãos tidos como paradigmas, deixando de efetivamente demonstrar a similitude fática entre as decisões.

VIII - Evidencia-se, portanto, a desarmonia com as exigências impostas no artigo 1.029, § 1º, do CPC/2015, e no artigo 255, § 1º, do RISTJ.

IX - Agravo interno improvido." (AgInt no AREsp 1248618/SP, 2ª T., rel. Min. FRANCISCO FALCÃO, j. 11/12/2018, DJ 19/02/2019)

Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso do Sul

Vice-Presidência

Em relação aos demais artigos acima mencionados, verifica-se que o recurso não merece prosperar em razão do óbice da Súm...